Comissão de Moradores de Santa Cruz de Benfica Comissão de Moradores da Damaia        

email: geral@cril-segura.com         telm: 915565471 telm: 936480762

Processo CRIL - Factos Relevantes


Parecer Técnico do LNEC - Pedido de esclarecimento à Procuradoria Geral da República


Processo Administrativo CRIL
Documentos oficiais agora disponíveis
comprovam a ilegalidade da obra.
O Governo conduziu todo este processo em total desrespeito pelas Instituições e pela lei vigente.

Dada a grande diversidade de ilegalidades / irregularidades, dividimos o processo em vários temas,
(clique para os abrir):


CML assume que foi "ludibriada" pelas Estradas de Portugal
 [ ver mais ]


justiça

Julgamento do fecho da CRIL
A verdade (e mais ilegalidades) a vir ao de cima!

Pelo facto de haver matéria relevante, de Interesse Público, o Ministério Público entendeu requerer a audição de várias testemunhas, nomeadamente a Comissão de Avaliação de Impacte Ambiental da Agência Portuguesa do Ambiente, responsável pela avaliação dos projectos para a conclusão da CRIL. Foi também requerido e anexo ao processo o Estudo Técnico do traçado elaborado pelo Observatório de Segurança de Estradas e Cidades (OSEC).
Nas duas últimas audiências de julgamento, no passado mês de Julho, foram da maior relevância os testemunhos, requeridos pelo Ministério Público (MP), dos técnicos da Comissão de Avaliação de Impacte Ambiental da CRIL, da Agência Portuguesa do Ambiente (APA). Foi revelado, por todos eles, que os projectos que estiveram em avaliação, para o fecho da CRIL, foram chumbados.
Este facto, por si só, pressupôe a ilegalidade da Declaração de Impacte Ambiental (DIA).

[ ver mais ]


cril    cril

Último troço da CRIL "é um verdadeiro crime"

Fernando Nunes da Silva, Prof. Catedrático do IST, actual vereador da Câmara Municipal de Lisboa, recentemente em declarações ao Jornal Público, teceu duras críticas ao projecto que está em execução para o fecho da CRIL, onde afirmou que:
"o projecto em execução é um verdadeiro crime. Acho lamentável que colegas meus inscritos na Ordem dos Engenheiros aceitem ser autores de um projecto daqueles".

é "evidente" que o projecto do último troço da CRIL viola a Declaração de Impacte Ambiental.

 "se isto fosse um estado de direito já tinham rolado cabeças"
[ ver a entrevista dada ao Público em 28 - 11 - 2009 ]

Gato por Lebre
Imagens distorcidas da realidade escondem crime urbanístico

Onde era suposto um jardim e uma passadeira ao nível do terreno
nasceu um “caixote de betão” com mais de 5 metros de altura.

Um autêntico “Muro de Berlim” a separar a população da Damaia e Benfica.

fotomontagem publicitada pelo Governo

foto actual 2010-06-06

(Consulte a queixa entregue na Procuradoria Geral da República
e compare as imagens publicitadas pelo Governo sobre a CRIL com as fotos actuais)
.

Divulge este escândalo, só assim podemos aspirar a um futuro melhor em que este tipo de crimes não fiquem impunes.

CRIL ESTÁ EM JULGAMENTO

Na sequência de uma acção interposta contra o Ministério das Obras Públicas, efectuou-se no dia 15 de Outubro de 2009, a primeira audiência no Tribunal Administrativo de Círculo de Lisboa.

HIDROPLANAGEM - CAUSA DE GRAVES ACIDENTES

O Observatório de Segurança de Estradas e Cidades (OSEC - com sede no Tribunal da Relação de Lisboa, é presidido pelo Juiz Nuno Salpico, e integrando ainda Juizes, Procuradores Adjuntos do Ministério Público, Engenheiros, Professores de Engenharia, Advogados e um representante da Ordem dos Advogados, além de outras entidades), depois de um longo e apurado trabalho de investigação, elaborou um estudo de segurança rodoviária onde se resume a metodologia de cálculo para verificar a segurança contra a hidroplanagem, com recurso a vários exemplos, obtendo-se as características mínimas para os pavimentos rodoviários. Nas zonas mais perigosas destas auto-estradas portuguesas propõem-se soluções económicas de execução rápida.

Neste estudo são denunciados os graves defeitos das estradas portuguesas que durante a ocorrência de chuva, causam fenómenos de hidroplanagem (parcial ou total), em condições proibidas, de onde resultam a maior parte dos acidentes graves.

Campanha de protesto/denúncia com distribuição de folhetos e cartazes em vários locais de Lisboa e Amadora





CRIL - A VERDADE QUE O GOVERNO QUER ESCONDER

Querem transformar a CRIL, obra de Interesse Público, numa "estrada de serventia"
de uma mega urbanização (Falagueira / Venda-Nova),
para valorizar futuros empreendimentos imobiliários.

O Governo optou por este projecto, agora em execução, que não cumpre a Declaração de Impacte Ambiental, que viola as normas de Segurança Rodoviária e que prejudica gravemente a qualidade de vida das populações, escondendo um projecto alternativo (desde 2005), mais seguro em termos rodoviários e com muito menos impactes na população (a verde na imagem).

Provavelmente para não interferir nos interesses dos empreendimentos da Falagueira e porque necessitam dum nó na Damaia, com entradas e saídas para a CRIL (complicando e prejudicando todo o trajecto), para facilitar os acessos a essa futura urbanização.


Este projecto do Governo é um dos piores possíveis para a Área Metropolitana de Lisboa e para os cidadãos, porque:
traçado da CRIL


Exemplo dos graves impactes causados pelo Nó da Damaia na população de Santa Cruz de Benfica e da Damaia:

Poluição dos escapes dos mais de 120.000 veículos por dia.

(problemas respiratórios, cancerígenos e outros... com sofrimento para o cidadão e custos para o Estado)
Nível de ruído muito acima do recomendado
(problemas do foro nervoso, com consequente perda de produtividade e custos para o Estado)

vala


É algo neste género que queremos, e que é possível ser feito!

tunel


A SOLUÇÃO QUE ESTÁ NA “GAVETA” E QUE SERVE O INTERESSE PÚBLICO
(traçado a verde na 1ª imagem)


O que será que impede o Governo de prestar Serviço Público e optar pelo traçado alternativo?

O que levará o Governo a violar de forma grosseira a "DIA (veja a Declaração de Impacte Ambiental)"?

O que impedirá os vários partidos políticos de honrar os compromissos assumidos nos Orgãos Autárquicos através das várias moções?

O que terá feito o ex-Presidente da C. M. Lisboa, Prof. Carmona Rodrigues, não honrar os seus compromissos pessoais e políticos assumidos com a população?


falagueira
cril

Nesta imagem percebe-se a razão lógica que impede que o traçado alternativo para a CRIL (a verde) seja proposto. É que este traçado passaria nos terrenos livres (Falagueira, Quinta do Estado) onde pretendem desenvolver esta mega urbanização, o que provavelmente prejudicaria os interesses imobiliários aí envolvidos...

É lamentável que o Governo para salvaguardar interesses privados, se proponha a prestar um mau Serviço ao País. 

Não é tolerável que uma obra desta importância para a Área Metropolitana de Lisboa, esteja condicionada a um projecto imobiliário.

Não é admissível, que para se satisfazer as exigências dos promotores deste projecto imobiliário (caso do Nó da Damaia), se comprometa de forma irreversível a qualidade de vida de milhares de cidadãos.


Perante estas evidências, e irresponsabilidade, questionamos:

As Comissões de Moradores de Santa Cruz de Benfica e da Damaia, juntamente com as outras Comissões e Associações Cívicas, tudo irão fazer para que o Governo e os responsáveis Autárquicos, dêem um novo rumo a este processo, na procura da melhor solução, evitando que interesses económicos questionáveis, que apenas favorecem grupos minoritários, se sobreponham ao verdadeiro Interesse Público.

Pelo Direito à Cidadania e por uma CRIL SEGURA e ao serviço dos Cidadãos!


   Veja a Galeria: vídeos, audios, fotos...   


 Veja o Blog: Cidadãos Responsáveis (i) Livres - CRIL pela cidadania

"Vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar"

3 macacos

A cidadania faz-se com a participação de todos nós.
Se nos deixarmos acomodar pela inércia, e funcionarmos simplesmente como macacos de imitação,
as mudanças necessárias à evolução desta civilização vão demorar muito mais tempo a acontecer...

Numa perspectiva global, é melhor fazer bem do que mal.
É preferível corrigir os erros antes que eles se agravem. 
Mais vale tarde do que nunca.