Comissão de Moradores de Santa Cruz de Benfica Comissão de Moradores da Damaia        
email: geral@cril-segura.com         telm: 915565471 telm: 936480762

CRIL - Troço Nó da Buraca - Pontinha

VIOLAÇÕES E INVERDADES DO GOVERNO


É lamentável assistirmos a um Governo de um País Democrático a violar (não cumprir) as suas próprias Regras, desprezando as suas Instituições, exemplo do Instituto do Ambiente, e desrespeitando os Cidadãos.
Os responsáveis políticos deste Governo, neste processo da CRIL estão a violar uma série de normas e a passar para a opinião pública um leque de inverdades:

1º Incumprimento e inverdade:
Vários responsáveis políticos deste Governo afirmam que este último projecto para a conclusão da CRIL cumpre a DIA (Declaração de Impacte Ambiental).
Não é verdade que "este projecto dê cumprimento à DIA"
, uma vez que esta é violada de forma grosseira logo no seu 1º ponto (veja-se DIA), que determina de forma clara e sem condicionantes a construção em túnel com 3 + 3 vias no troço entre o Km 0+675 e o Km 1+700 (toda a zona que confina com o Bairro de Santa Cruz e a Damaia). Ora este projecto agora anunciado pelo Governo vai contra esta determinação, pelo facto de prever para este troço 4 + 4 vias e grande parte a céu aberto (ver resposta do Presidente do Instituto do Ambiente).

2ª Inverdade:
Os vários responsáveis políticos deste Governo afirmam que "este projecto minimiza os impactes sociais, acústicos, visuais, paisagísticos..." (ver Portal do Governo - ponto 3).
Não é verdade que este projecto minimize os impactes em relação ao projecto anterior
. Prova disso mesmo é que, onde estava previsto 3 + 3 vias em túnel entre o 0+675 e o Km 1+700 (toda a zona que confina com o Bairro de Santa Cruz e a Damaia), é agora proposto 4 + 4 vias, sendo grande parte delas a céu aberto chegando a entrar dentro da propriedade dos moradores.

3ª Inverdade:
Os vários responsáveis políticos deste Governo afirmam que a introdução da 4ª via no troço que confina com Santa Cruz de Benfica e a Damaia " é para melhorar a segurança e as condições de circulação" (ver Portal do Governo - ponto 6).
Não é verdade que a introdução desta 4ª via seja por condições de segurança rodoviária ou fluidez de trânsito.

Contrariamente ao que o Governo afirma, a verdade é que a construção desta 4ª via é para introduzir uma saída, completando o Nó da Damaia. Com esta alteração projectual, ao se passar de uma solução de 3+3 vias de circulação em contínuo, para uma solução com entradas e saídas, vem provacar graves problemas de segurança rodoviária e fluidez pela turbulencia que gera. Para piorar, acresce que esta saída é feita numa zona de curva e com condições de “luz / contra-luz” e “seco / molhado” devido à parte do túnel em céu aberto.
Um autêntico ponto negro rodoviário, do tamanho da irresponsabilidade dos proponentes deste projecto.


4ª Inverdade:
Os vários responsáveis políticos deste Governo afirmam (incluindo os presidentes das Câmaras de Lisboa, Amadora e Odivelas) que "este é o melhor projecto possível".
Não é verdade que este seja o melhor projecto possível
(a menos que se estejam a referir aos proponentes do mega Projecto Falagueira / Venda-Nova). O melhor projecto possível, que é realmente viável, e inclusive já foi estudado pelo próprio Governo, é o traçado alternativo ilustrado na 1ª imagem deste site.

5ª Inverdade:
Os vários responsáveis políticos deste Governo afirmam que ouviram os Cidadãos e tiveram em conta as suas preocupações.
É verdade que ouviram os Cidadãos, mas é não é verdade que tenham tido em conta as suas preocupações
. Exemplo disso mesmo são as mais de mil exposições entregues pela população em sede de Consulta Pública, que não foram tidas em conta.
A forma como o Governo anuncia este projecto e o leva a Concurso Público, é exemplo de défice democrático, e demonstrativo de total desrespeito pelas Instituições (caso do Instituto do Ambiente) e pelos Cidadãos. Uma autêntica "finta" à Democracia.


Joaquim Raposo em video do Governo
vende gato por lebre

Na tentativa de esconder o embuste que é este projecto adjudicado para a conclusão da CRIL, o Governo não se tem coibido de produzir imagens distorcidas por foto montagem e proferir declarações técnicas desprovidas de verdade.

O ex-libris da "campanha de marketing" foi a produção de um vídeo que está disponível no site do MOPTC - Ministério das Obras Públicas, no qual aparece o Sr. Joaquim Raposo, Presidente da Câmara Municipal da Amadora, a afirmar que o projecto para a Conclusão da CRIL é feito em túnel entre o Nó da Buraca e a Estrada dos Salgados.

Passamos a citar: "após a preensão do Nó da Buraca, a CRIL desenvolve-se em túnel até à Estrada dos Salgados".

veja vídeo " Adjudicação da Cril" com estas declarações (minuto 2:23 a 2:45) em http://www.moptc.pt/cs2.asp?idcat=1497#4430

Constate a dimensão desta inverdade no mapa http://cril-segura.com/index.html#aerea_alt_3

Na imagem, poderá verificar a cizento as zonas a céu aberto: o caso de Santa Cruz / Damaia (4 vias - 310m a céu aberto), Pedralvas (11 vias - 400m a céu aberto).....entre outras.

Estas declarações confirmam a preocupação do Governo em esconder a realidade dos Cidadãos, e a incapacidade do poder político perante as pressões dos interesses envolvidos no projecto imobiliário Falagueira/Venda-Nova.


COMPROMISSOS NÃO HONRADOS

DESPREZO PELAS INSTITUIÇÕES DEMOCRÁTICAS

(Exemplo do Nó da Damaia no traçado da CRIL)

Conscientes  da  necessidade  do fecho da CRIL, e da importância de se fazer um projecto com qualidade, que resolva de forma eficaz os problemas de mobilidade existentes, temos vindo ao longo dos últimos anos, a desenvolver esforços, no sentido de sensibilizar o Governo, para que desenvolva uma solução de traçado, que sirva realmente o Interesse Público. 
É indispensável que essa solução projectual tenha como principal orientação  aspectos que consideramos fundamentais, tais como:

- a eficiência e Segurança Rodoviária.

- a minimização do impacte nas populações e no Ambiente.

Infelizmente, até à data, os vários responsáveis políticos, não nos deram ouvidos, optando por um traçado que contraria de forma grosseira aquilo que é o Interesse Público, condicionando descaradamente uma obra de Interesse Nacional aos interesses envolvidos numa mega-urbanização (Falagueira / Venda-Nova).

Aquilo que deveria ser um traçado para servir os Cidadãos e a Área Metropolitana de Lisboa, tem vindo a transformar-se, aos poucos, numa via de serventia (e valorização) das futuras construções que se pretendem desenvolver nos terrenos livres da Falagueira / Venda-Nova (ver Projecto Falagueira/Venda-Nova).

Prova de tudo isto, é a introdução do Nó da Damaia no traçado da CRIL.

Os moradores sabendo que a razão lhes assiste, têm vindo a contestar o Nó da Damaia, "dando os passos” que a Democracia recomenda,  exercendo o seu Direito de Cidadania:

1º. População local:

2º. Assembleia de Freguesia de Benfica:

3º. Assembleia Municipal de Lisboa:

4º. Altos responsáveis políticos, tomaram posição e deram garantias inequívocas quanto à eliminação do Nó da Damaia:

Perante tudo isto, que demonstra que a razão nos assiste, é lamentável verificarmos por parte dos vários responsáveis políticos, a negação dos seus compromissos pessoais e políticos assumidos com a população, tanto publicamente como em sede dos vários Órgãos Autárquicos, através das várias moções.

Questionamos:

Que "valores mais altos se levantam”, para assistirmos a este comportamento inadmissível por parte dos responsáveis políticos deste nosso País, que em nada dignifica o Estado, nem a nossa Democracia?

Os factos são indesmentíveis:
ignoram-se as populações, tenta-se fazer as coisas às escondidas, não se respeita a Democracia.


Em resumo:

OS POLÍTICOS PROMETEM
OS INTERESSES GOVERNAM

Tudo iremos fazer, para não permitir que os mais altos responsáveis deste País, nos deixem entregues “áqueles”, que apenas visam os seus interesses, com total desprezo pela comunidade, comprometendo o nosso Património e Qualidade de Vida, e hipotecando o presente e o futuro dos nossos filhos.